Qual a melhor guitarra para iniciantes?

Qual a melhor guitarra para iniciantes?

Neste artigo falaremos sobre como ganhar velocidade na guitarra. Muitos querem a melhor marca de guitarra já no começo, em investir muito dinheiro, mas não necessariamente você precisa arcar com grandes custos para começar e é importante observar alguns pontos que veremos aqui neste artigo.

Você não precisa começar com uma guitarra super cara!

Guitarra para iniciantes na guitarra

Essa é uma dica essencial para lhe ajudar, pois se você está começando, é interessante que comece aos poucos, com uma guitarra simples, porém que lhe trará boas experiências.

Quando você já estiver com uma boa base de conhecimento, ter aprendido algumas técnicas e sentir que quer dar um passo para uma guitarra mais robusta, ai sim, você pode pensar em investir em uma guitarra mais cara.

Por isso acompanhe nossa lista de sugestões de guitarras que você pode escolher para comprar e ter satisfação, mesmo sendo um instrumento de baixo custo.

 

Lista sobre qual a melhor guitarra para iniciantes

 

Abaixo colocamos algumas das melhores guitarras para se começar!

 

Guitarra Shelter California CALSTD25 Standard Ssh Preta

  • Possui Braço em madeira Maple e um Shape super confortável
  • Escala em Rosewood
  • Corpo feito em Basswood de excelente qualidade
  • Muito versátil, de forma que pode ser usada em todos os estilos
  • Contém 2 Captadores, 2 Simples e 1 Duplo

 

Guitarra Shelter Detroit DET305GBB com Bag Black

  •  Modelo Guitarra Shelter SG Detroit 305
  • Corpo feito em Basswood
  • Braço feito em Maple (Parafusado)
  • Escala Rosewood
  • Ponte de Tune-o-matic
  • 2 Controles de volume e 2 de Tonalidade
  • 2 Captadores Humbucker
  • Tarraxas Blindadas e Cromadas
  • Acompanha um bag de nylon

 

Bom, esses são apenas dois exemplos de guitarras, espero que gostem.

 

Também quero recomendar um artigo para quem está querendo ganhar velocidade na guitarra. Basta clicar aqui.

 

Grande abraço e até breve!

Anúncios

Gravação de CD evangélico

Olá pessoal! Bom, eu sei que musicas evangélicas já estão virando moda aqui no Brasil. Infelizmente muitas pessoas procuram somente mais um oportunidade para mostrar suas habilidades e capacidade. Nada contra aqueles que fazem por amor, e porque tem um chamado de Deus para cantar. O problema sempre está nas más intenções que ficam escondidas no coração.

 

Realmente é difícil descobrir se cantor o “A” ou cantor “B” cantam com boas intenções, isso somente Deus pode e sabe julgar, o que cabe a nós é como está na Bíblia, que devemos observar os frutos. Jesus disse que só podemos conhecer as árvores pelos frutos. Então, hoje quando eu vejo alguém que gravou um CD evangélico, antes de ter qualquer opinião formada, eu procuro conhecer seus frutos.

 

E falando em gravação de CD evangélico, eu quero fazer menção do meu amigo Jesi Martins da Lup Estúdio de Camboriú. Ele tem um maravilhoso estúdio de produção Musical e um detalhe, ele só trabalha com músicas gospels. Diz ele que já apareceu muitas oportunidades de ele gravar musicas “mundanas”, mas que por amor a Deus, e fidelidade, ele continuará gravando somente musicas evangélicas. Para vocês conhecerem ele melhor, acessem o site dele clicando no link a seguir – Lup Estúdio Camboriú.

 

E é isso pessoal, esse post foi mais um desabafo que conteúdo, mas é sempre bom a gente refletir sobre nossas intenções.

Fiquem com Deus.

 

Sou cantora, como gravar um CD?

Gravando seu primeiro CD
Ok, Você já esta completamente decidido que quer mesmo seguir na carreira de cantor, e quer muito gravar um CD! O que fazer?

Antes de mais nada é importante entender que gravar um CD é a fase final, do pensamento e elaboração, de um caminho adotado pelo artista na sua carreira. Antes de gravar um CD, o artista tem que ter passado por muitas outras etapas de elaboração da sua estratégia de mercado, que vai desde a definição de repertório, público alvo, praça etc. Mas como cantora eu sei da agonia e aflição que temos de ter nosso trabalho nas nossas mãos na forma do tão sonhado CD, e que na posição de artistas que somos, mau conseguimos entender todo esse papo de marketing, mercado etc. Queremos de uma forma geral, produzir e trazer para a fisicalidade a nossa arte em forma de um lindo CD, de preferência com a nossa cara estampada nele. (risos) E tudo bem! Esse pode ser um caminho, porém você não vai querer ter o CD somente para você. Vai querer vender esse CD, ou no mínimo conseguir coloca-lo no mercado, e se estas questões “pouco artísticas” não forem pensadas antes de começar a elaborar o CD, você tem uma grande chance de se ver com um CD incrível e criado para ficar guardado na sua gaveta, pois não tem espaço pra ele no mercado.

Essa questão de mercado, eu vou abordar em outro artigo, mas é importante pensar que quando pensamos em gravar um CD, estamos sim pensando em coloca-lo no mercado. O que me leva para a próxima consideração: Onde gravar?

Hoje em dia, é possível gravar um disco de excelente qualidade em estúdios menores, próprios para gravação. É possível também com o avanço da tecnologia da música digital, conseguir resultados ótimos através da programação, e é claro existe ainda a possibilidade de gravar nos grandes estúdios, já renomados, que hoje em dia trabalha mais de 60% diretamente com os artistas. O que vai definir a onde você deve gravar é a música que você vai trabalhar.

Se você vai gravar um hip-hop, vai poder usufruir dos adventos da tecnologia até mesmo de garagem, já que o hip-hip comporta tal sonoridade, já o mesmo não dá pra ser feito se você vai gravar um Blues.

O importante é manter em mente que independente de estilo, e até mesmo de qualidade musical (porque não estou aqui pra julgar musicalidade) é importante ter uma boa qualidade na gravação em todo o seu processo, desde a captura, mixagem e masterização para que o resultado final seja compatível com os padrões de mercado. Fiz uma entrevista, recentemente aqui no blog, com o renomado Luizinho Mazzei, onde ele explicou de uma forma bastante clara todo o processo de gravação, mixagem etc, vale a pena conferir.

Mas resumindo muito, o processo de gravação de um CD é:

A escolha do repertório:

Este momento é crucial. Ele vai definir todos os outros aspectos do disco e até mesmo definir parcerias e os músicos envolvidos. Você deve se manter integra ao seu trabalho, e manter a sua individualidade, pois é isso que te diferencia do mar de cantoras que existe por ai. É sempre bom pensar em uma ou outra re-gravação pois ajuda durante a divulgação do disco se você não for conhecida.

Se optar por uma re-gravação, você precisa manter o padrão de qualidade da original ou superar. Re-gravar uma canção de forma que ela seja inferior à original, é dar um tiro no pé.

Pré-produção:

Esse é o momento onde você vai escolher um diretor musical, os músicos, definir o estilo etc. É importante você escolher um diretor musical que realmente entenda e se comunique com a sua verdade, pois o disco vai ser seu e não dele, mas é ele quem vai dirigir, então vocês precisam ter uma boa afinidade e confiança para cada um poder exercer o seu trabalho. Um bom diretor, vai ir de encontro a sua já estabelecida forma de expressão, buscando trazer todo o seu potencial para o trabalho.

Saber ouvir o diretor é tão importante quanto ter personalidade, pois ele será o seu primeiro filtro, seu primeiro ouvinte, e se você confiou nele para dirigir, deve entender que ele estará sempre visando o que é melhor para o trabalho de uma forma geral.